Vídeo #28: Parque da Independência, pneu furado e recebendo amigos

No vídeo de hoje mostro para você um dos meus parques favoritos: o Parque da Independência, em São Paulo. Ele abriga um bosque com pista para correr, áreas para fazer piquenique, o Museu do Ipiranga – que está fechado para reforma -, jardim lindíssimo e super bem cuidado, o Monumento da Independência, um trecho preservado do Rio Ipiranga e uma rampa que já foi abrigo de shows e é bem aproveitada por skatistas, ciclistas e até carrinhos de rolimã. Continuar lendo

Anúncios

Vídeo #18: feira, compras, Paulista Aberta e reunião de amigos

O vlog dessa semana nos acompanha em um fim de semana bem típico! Começamos pela feira nossa de todo sábado, passamos para compras necessárias no shopping, partimos para a Paulista Aberta em um domingo muito ensolarado e terminamos com uma reunião de amigos regada a cerveja, costela e risadas. Claro, com muita comida envolvida!

Quer saber a minha opinião sobre os burritos do Mexcla, dar uma olhada em algumas ótimas apresentações na Paulista, ver as minhas comprinhas e descobrir qual é o melhor e mais barato hambúrguer da região? É só clicar no vídeo!

Para não perder nenhum vídeo, é só se inscrever no canal do YouTube. É de graça!

O brunch do Emiliano

emiliano 18

Esse post está APENAS um ano atrasado. O brunch em questão aconteceu no nosso segundo aniversário de casamento. Foi no Emiliano que comemoramos nosso casamento civil, há três anos atrás, e decidimos que o segundo aniversário era uma bom motivo para voltar. Escrevo esse post exatamente um dia antes do nosso terceiro aniversário, e por isso tenho tanta certeza que o atraso é de UM ANO. Mas esqueçamos os detalhes, a atemo-nos a falar do que importa: a comida.

Chequei no site do Emiliano e o menu do brunch mudou. Alguns itens ainda continuam no cardápio e alguns são bastante parecidos com o que era servido há um ano atrás. Para quem quiser, vou deixar o link do menu atual no final do post! O preço continua o mesmo: R$179 por pessoa + 12% de serviço. Pode parecer um pouco caro para um brunch, mas além de poder pedir todos os itens do cardápio (são 34 opções) quantas vezes quiser, todas as bebidas não alcoólicas e o espumante Mumm estão inclusos. Escolhemos o Emiliano para comemorar o casamento civil com nossa família porque queríamos poder estender a refeição por horas e horas a fio, sem pressa, e queríamos que todos tivessem muitas opções para comer e beber. E nessa comemoração de dois anos, era o que queríamos novamente: comer e beber muito e bem, sem pressa. Continuar lendo

Bar da Dona Onça: comida de boteco artesanal e primorosa

IMG_1855-4

Fazia tempo que eu devia uma visita ao Bar da Dona Onça. As filas homéricas aos fins de semana me repeliam, mas eis que, num sábado agradável, de tempo ameno, vimo-nos, eu e o Marcelo, no centro da cidade, início de tarde, cheios de fome e decididos a enfrentar a espera do concorrido bar do Edifício Copan, um dos cartões postais da cidade. O dia já tinha rendido visita à boa exposição de Kandinsky no CCBB e passeio pela Galeria do Rock, que não visitávamos havia mais de dez anos. A caminhada até o Copan só fez a fome aumentar, e quando nos deparamos com a espera de quarenta minutos decidimos que era o tempo ideal para degustar uma capirinha enquanto relaxávamos naquele pedaço da cidade do qual gostamos tanto e por onde pouco passamos. Continuar lendo

Em busca do hambúrguer perfeito #5: bar.

bar 5

Um bar na Joaquim Antunes não é o tipo de lugar que costuma me atrair. Não sou público cativo e tendo a achar que quando não é para mim, eu também não sou para eles. Mas eis que o bar. (assim, com B minúsculo e ponto final) foi eleito o melhor hambúrguer por um site especializado no ano passado, desbancando queridinhos da galera. Eu achava bem estranho que esse site fosse o único a ter o tal hambúrguer não só nas primeiras posições, mas na primeira. E, apesar do ponteiro do meu desconfiômetro me dizer que o tal site teria algum interesse para falar tão bem de algo longe de ser unanimidade, decidi ver com os próprios olhos e comer com a própria boca. Continuar lendo

Attimo pós Jefferson Rueda

Attimo 4

Lá pelos idos de agosto, fui conhecer o Attimo. Atrasada. A casa pertencia, até pouco antes disso, ao restauranteur Marcelo Fernandes (Clos, Kinoshita e Mercearia do Francês) e ao chef Jefferson Rueda. Jeffim, como é chamado por aí, deixou a cozinha ítalo-caipira do Attimo, que o fez conhecido e premiado, para tocar A Casa do Porco, restaurante e empório, especializado em porco e embutidos produzidos na casa.

Depois de sua saída, o cardápio sofreu alterações importantes e, ainda que alguns pratos clássicos tenham se mantido, muitos deles deram lugar a outros, com inspirações muito diferentes e um tom muito menos autoral. Continuar lendo

Meu fim de semana #6: avenida Paulista, hambúrguer caseiro, boteco, jogo de tabuleiro e Modern Family

fds 6-10

Depois de três semanas intensas de Mostra, voltemos à programação normal. Muitos fins de semana se passaram desde o último postado aqui, e como tem muito para colocar em dia, decidi selecionar os mais legais e com mais conteúdo. E, para comemorar a volta da série, eis que estou inaugurando meu canal do YouTube que existe há anos e não tem conteúdo nenhum. Eu adoro acompanhar vlogs, e decidi testar o formato. A vergonha é grande e eu ainda não sou cara de pau a ponto de incluir as gentes que passam pela minha vida nos vídeos, por isso vocês não vão ouvir a minha voz e nem ter acesso a tudo o que fiz no fim de semana que, no caso, foi o feriadão de 12 de Outubro. Com o tempo, melhora. Espero.

Continuar lendo