Diário de bordo #2: São Bento do Sapucaí

img_0098

Em setembro, tiramos duas semanas de férias. Passamos uma em São Paulo e a outra em São Bento do Sapucaí. Não tínhamos muito dinheiro para gastar, mas queríamos dar um tempo da cidade grande, ficar no silêncio e respirar ar puro. Escolhemos São Bento do Sapucaí porque não conhecíamos a cidade e porque achamos no Airbnb uma casa perfeita, e essa casa ficava lá. Era a primeira vez que usávamos o serviço, e a experiência foi tão boa que decidi dividir com vocês. Demorou porque a intenção era produzir vídeos da viagem, mas tive um problema com um HD externo e perdi 90% das imagens que captamos lá. O trauma foi tão grande que cogitei nem falar sobre a viagem, mas aí lembrei o motivo de ter criado o blog: passar informação adiante para ajudar as pessoas. E é por isso que esse post chega hoje para vocês!  Continuar lendo

Anúncios

Diário de bordo: Orlando – Parte 2

Magic Kingdom 3

Leia a parte 1 dessa viagem.

SEXTO DIA: MAGIC KINGDOM, PINOCCHIO VILLAGE HAUS E ARTIST POINT

O tão chegado dia chegou. A expectativa para conhecer o Magic Kingdom foi, ao longo dos meses, cultivada por mim, mas mais pelos meus companheiros de viagem, que mal podiam esperar para testemunhar meu deslumbre.

A entrada é realmente impressionante, com o trem passando por cima das filas e o maquinista acenando, a Main Street lotada de gente tirando fotos, a estátua de Walt Disney e Mickey e o Castelo da Cinderela. Ainda mais com o céu azulíssimo como pano de fundo. Mas confesso que a expectativa era tão alta que eu me impressionei menos do que esperava. Ainda assim, tive que gastar uns momentos para registrar aquelas imagens icônicas. Continuar lendo

Diário de bordo: Orlando – Parte 1

Rei Leão

Lá pelos meus 12 anos de idade, conhecer a Disney era um dos maiores objetivos da minha vida. Ainda muito nova para viajar sozinha, mas já capaz de encarar uma excursão com minha prima, da mesma idade que eu, decidimos que ir para a Disney poderia deixar de ser sonho e passar a ser plano.

Na época, com fontes de informações limitadas, o máximo que eu consegui fazer foi comprar uma revista na banca de jornal que acompanhava um VHS. Mas já era o máximo, para mim. Poder ver aquele mundinho em vídeo, e não só em fotos, era suficiente. Planejei o que pude, pesquisei agências de turismo que levavam crianças, mas tive meu sonho adiado. Meus pais eram bem tranquilos, e já tinham pré-concordado com a viagem. Tudo ia depender de como a excursão seria e quanto ela custaria.

Os meus tios não eram tão tranquilos assim, ou era essa a imagem que eu tinha do que minha prima contava, e ela acabou desistindo antes mesmo de consultá-los, com medo de levar um “não!”. Meus pais achavam que minha irmã era muito nova (ela tinha 10 anos) para ir comigo e eu acabei sem companhia para realizar meu sonho. Continuar lendo