Gostou desse? Veja esse! #1: Chef’s Table

GDVE 1

Sabem aquelas recomendações da Netflix “Porque você assistiu a…”? Algumas fazem sentido, outras estão lá por causa de tags e algoritmos, ou seja, não são necessariamente tão confiáveis quanto às de um humano. Pois decidi fazer o papel desse “humano” e indicar filmes, séries e o que mais a imaginação permitir, baseada em filme e séries populares. Acho que pode ser útil para vocês, e até para mim, que exercito a memória! Pra começar, um sucesso de crítica e público: Chef’s Table.

chefs table

A série, produzida pela Netflix, já tem duas temporadas, cada uma com seis episódios. Cada um deles gira em torno de um grande chef, reconhecido internacionalmente. Já passaram por lá, por exemplo, Massimo Bottura, Dan Barber, Grant Achatz e o nosso conterrâneo Alex Atala. Como o título sugere – chef’s table é uma mesa especialmente colocada dentro da cozinha, em ocasião especial, que permite ao convidado assistir o processo e ser servido pelo chef -, o documentário registra a feitura da comida, a montagem dos pratos, a organização do salão, e, principalmente, constrói uma narrativa a partir de entrevistas com críticos gastronômicos e os próprios chefs em questão. Ao retirar os chefs do pedestal e mostrá-los como pessoas de carne, osso e emoção, Chef’s Table torna a experiência, além de um deleite visual, emocionante. Para o regozijo de apreciadores da alta gastronomia, da comida e da arte de cozinhar, a primeira temporada do spin-off Chef’s Table França já tem data de estreia: 2 de setembro. Enquanto aguardamos, sugiro alguns filmes e séries que certamente vão agradar aos fãs!

COOKED

cooked 2

Também produzida pela Netflix, a minissérie Cooked, baseada no livro homônimo do jornalista e ativista da boa alimentação Michael Pollan, divide-se em quatro episódios: fogo, água, ar e terra. Em Fogo, ele aborda caçadores aborígenes e mestres churrasqueiros do sul dos EUA para mostrar a transformação da comida através do calor, e, a partir daí, analisa a relação do homem com o animal do qual se alimenta. Em Água, o jornalista analisa a evolução da cozinha no decorrer do século passado, através do crescimento exponencial da indústria alimentícia, partindo do pressuposto que a panela possibilitou uma transformação significativa para a nossa alimentação, visto que a partir do momento de sua invenção, passa-se a usar a água como meio de cozimento. Em Ar, Michael estuda o pão, nosso alimento primordial, do ponto de vista nutricional, cultural e econômico. Em Terra, ele fala sobre a fermentação como um elemento transformador, que produz cerca de um terço dos alimentos que consumimos, incluindo bebidas alcoólicas, e chama a atenção para o mundo antibiótico em que vivemos.

Como Chef’s Table, Cooked é filmado com capricho. O trabalho de som é muito bonito, e junto com a trilha sonora minimalista, cria um clima etéreo que contrasta com a crítica (sutil) que Michael faz no que diz respeito, especialmente, à indústria. A escolha de temas é acertada, mas o teor bastante didático o difere um pouco de Chef’s Table, que é puro entretenimento. As reflexões que Michael sugere, no entanto, são de extrema importância.

JIRO DREAMS OF SUSHI

jiro dreams of sushi 2

Jiro Dreams os Sushi é um documentário de longa metragem dirigido por David Gelb, que também dirigiu três dos doze episódios de Chef’s Table, incluindo o meu favorito, Massimo Bottura. O filme tem uma linguagem bastante similar à da série, e por isso eu acredito que vá agradar a todos os fãs. Jiro Ono é um mestre do sushi de 85 anos. Ele comanda o pequeno restaurante Sukiyabashi Jiro, três estrelas Michelin, em Tóquio, ao lado do seu filho mais velho, que deverá herdar o posto do pai. O filho mais novo de Jiro comanda outro restaurante, similar ao do pai. Assim como em Chef’s Table, há um cuidado primoroso na captação e manipulação de imagens, que convergem com a trilha sonora, basicamente formada por composições de Philip Glass. Seja no mercado de peixes ou atrás do balcão de seu restaurante, seguimos as habilidosas mãos e mente de Jiro trabalhando constantemente em busca da perfeição. O restaurante, tão distante, tão concorrido e tão caro (o menu degustação custa por volta de 250 dólares) pode parecer um sonho inalcançável, mas assistir ao filme é um prêmio de consolação e tanto.

SPINNING PLATES

spinning plates

Spinning Plates é um premiado documentário que conta, paralelamente, a história de três restaurantes: Alinea, considerado um dos melhores e mais promissores restaurantes do mundo, tocado por Grant Achatz, que também teve sua história contada em um dos episódios de Chef’s Table; Breitbach’s Country Dining, na família Breitbach há seis gerações, que reúne os locais como um centro da comunidade, e que atrai viajantes por conta de sua comida deliciosa; La Cocina de Gabby, um pequeno e simples restaurante mexicano familiar, administrado por Francisco Martinez e Gabriela Martinez. Apesar de todas as diferenças, os três restaurantes têm uma característica em comum: fatalidades que põem em xeque o futuro dos negócios e das vidas por trás deles. Assim como em Chef’s Table, aqui a comida tem sua importância, mas o aparente pano de fundo, representado pelos dramas pessoais, é o verdadeiro protagonista. Emocionante, o filme toca em questões que permeiam a vida de de todos nós, chefs ou não, de forma sensível e com bom ritmo. Do tipo de filme que termina, mas continua inspirando por dias a fio.

PARTS UNKNOWN

parts unknonw 2

Parts Unknown é o quarto programa de TV apresentado pelo chef Anthony Bourdain. Nele, mais ou menos como nos outros, Anthony viaja o mundo em busca da comida mais autêntica, enquanto conhece pessoas interessantes e entende um pouco das culturas locais. Como o nome sugere, o programa, que já está em sua sétima temporada, prioriza lugares escondidos, especiais, fora do eixo turístico, seja baixa ou alta gastronomia. Assim como em seu programa anterior, o também ótimo The Layover, onde ele passa 48 horas aproveitando o melhor que as cidades têm a oferecer, Anthony absorve com avidez os costumes, sabores e hábitos das cidades através da comida e da bebida, e faz observações sinceras e por vezes, mordazes. Se não é possível conhecer tantos lugares como ele, é possível, ao menos, planejar (e sonhar com) viagens gastronômicas fenomenais.

CHEF

CHEF_09562.NEF

Chef é um dos meus filmes favoritos da vida. Não por ser tecnicamente impecável, ou por conta de sua relevância para a história do cinema, mas porque me toca de maneira muito pessoal, como poucos filmes fazem. Fiz uma crítica há um ano e meio, quando o vi pela primeira vez, e você pode lê-la aqui. Para os amantes da gastronomia, Chef é um prato cheio, com o perdão do trocadilho. O filme conta a história de Carl Casper, chef de um restaurante cujo proprietário não permite mudanças radicais no cardápio há tempos, o que limita a criatividade de Carl, ao mesmo tempo faz minguar sua paixão pela profissão. De mãos atadas, Carl decide pedir demissão e arriscar em um negócio próprio: um food truck que vai atravessar os EUA de costa a costa, partindo de Miami e passando por Austin e New Orleans, até chegar em Los Angeles. É um filme de lamber os beiços que, de quebra, conta uma boa história, cheia de personagens interessantes e transformações emocionantes.

E você? Tem sugestões de filmes e séries que não estão nessa lista? Comente aqui!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s